Coesão Textual 1 – Referencial

Olá, amigo estudante

Neste nosso artigo, conversaremos sobre a Coesão Textual, cujo conhecimento torna-se imprescindível ao produtor de texto, porquanto a coesão é a responsável pela harmonia entre os elementos que compõem um texto.

Para melhor compreendermos o estudo de coesão textual, dividi-la-ei em três grupos: Coesão Referencial, Coesão Lexical (reiteração e substituição) e Coesão Sequencial.

Neste primeiro momento, trabalharemos a coesão referêncial

1. Coesão Referencial – ocorre quando se utilizam elementos, os quais retomam ou remetem a um termo anterior ou a uma ideia anterior ou posterior. A coesão Referencial pode ser assim dividida:
1.1 Anafórica – retoma o termo ou a ideia anterior. A anáfora pode ocorrer com:
a) Pronomes
―A população brasileira, a qual se apresenta de forma muito diversificada, é composta essencialmente por três grupos étnicos: o indígena, o branco e o negro. Os indígenas constituem a população nativa do país, os portugueses foram os povos colonizadores da nação e os negros africanos foram trazidos para o trabalho escravo. (O pronome relativo qual retoma o termo população brasileira)
Esse contexto proporcionou a miscigenação dos habitantes, caracterizados como mulato (branco + negro); caboclo ou mameluco (branco + índio) e cafuzo (negro + índio). Com o prosseguimento da miscigenação, originaram-se os inúmeros tipos que hoje compõem a população brasileira. Somos, pois, um povo diversificado étnica e culturalmente, não havendo motivo para qualquer tipo de preconceito racial. Mantê-lo é negar a nossa própria existência. (Esse contexto retoma a ideia do último período sintático do parágrafo anterior)
b) Advérbios
―Vários imigrantes, advindos especialmente da Bolívia e do Haiti, buscavam no Brasil condições propícias de vida, já que aqui havia uma excelente oferta de trabalho. À medida que eram absorvidos pelo mercado, visualizavam perspectivas de se instalarem definitivamente. Quando perdiam um emprego, facilmente conseguiam outro. Mantiveram-se assim durante alguns anos.
(aqui refere-se a Brasil; assim refere-se à ideia perder um emprego e conseguir outro)
c) Numerais
―O fato de o secretário e o diretor defenderem um ponto de vista favorável à empresa não me causa estranheza, mas os dois afirmarem que não há uma crise interna é um pouco absurdo. (o numeral dois refere-se a secretário e diretor)
1.2 Catafórica – consiste na antecipação de um termo ou de uma ideia posterior. A catáfora pode ocorrer por meio de:
a) Pronomes
―Mesmo que se vislumbrem novos rumos para a política brasileira, é sempre bom lembrar isto: a democracia se fragiliza a cada decisão equivocada‖. E se, por ventura, à frente, a população responsabilizá-los pelos atos praticados, comprovar-se-á que os nobres deputados e senadores cometeram um grande erro. (o pronome isto remete à ideia posterior ―a democracia se fragiliza a cada decisão equivocada” – o pronome oblíquo átono los refere-se aos termos ―deputados e senadores”)
b) Advérbios
Aqui, o número de alfabetos funcionais só aumentou nesses últimos anos. No Brasil, percebe-se claramente que não há, por parte dos governantes, qualquer compromisso com a educação. (aqui remete ao termo Brasil)

1.3 Elipse – consiste na omissão de um termo já expresso no enunciado
―A luta constante por uma nova forma de se fazer política deveria permear a mente de todos os brasileiros. Alguns grandes homens, aguerridos e munidos pelo desejo de transformar o país, doaram-se em prol de um objetivo comum a todos; outros tantos, em benefício próprio. (elipse da forma verbal doaram-se)